27 de fevereiro de 2011

DIA DE BUSTOS'2011 - cliks



António Mota, Presidente do PSD concelhio marca presença atenta. O futuro vem a caminho



ABC e vão 30. No início era o sonho. Dr. Paulo Alves homenageia o Dr. Jorge Micaelo.
Trabalhos da exposição dão brilho à imagem.



A equipa de trabalho dos «Amigos de Bustos» instalou "o quartel general" no mítico «Piri-Piri». Um bem-haja a Milita Aires.
Imagem adoçada com trabalhos do concurso.


Anúncio dos Premiados dos concursos lançados pelos "Amigos da Bustos".
Um pormenor do expositor visto no 1º andar do Edifício da Junta. Criação MP.
__________

26 de fevereiro de 2011

Aos alunos do 12º C do IPSB: se podes olhar, vê

Os alunos da Área de Projecto da turma do 12º C do IPSB estão no grupo dos heróis do Dia da Biblioteca.
Não satisfeitos, resolveram rematar a sua linda exposição com um acto de gentileza, enviando aos Amigos de Bustos um e-mail a agradecer todo o apoio dispensado
Segundo eles, 
"Sem a ajuda do grupo “ Amigos de Bustos” o nosso projecto não se poderia concretizar.
Foi, para nós, um prazer trabalhar convosco e esperamos ter correspondido a todas as expectativas."
Compunham o grupo da turma do 12º C a Alexandra Almeida, a Elisabete Abrantes, o Flávio Agostinho, o Rúben Silva e Tiago Pereira.

Mais do que a resposta que mereceram, valeu um outro convite a estes jovens: continuarem a ser empreendedores e construtivos e a levar por diante, com trabalho e persistência, os seus ideais e projectos.

"Penso:Talvez haja uma luz dentro dos homens
                                                                 talvez uma claridade,
talvez os homens não sejam feitos de escuridão,
talvez as certezas sejam uma aragem dentro dos homens e
talvez os homens sejam as certezas que possuem."


(Prof.ª Ana Peres, coordenadora dos trabalhos)

*
- Poema de José Luis Peixoto, Nenhum Olhar, um dos temas das foto-literaturas expostas.
*
Comemoração dos 50 Anos da Biblioteca de Bustos
"50 Anos - 50 Livros"

IPSB - Colégio Frei Gil
Área Projecto 12º C | Alexandra Almeida | Elisabete Abrantes
Flávio Agostinho | Rúben Silva | Tiago Pereira
Coordenação: Prof.ª Ana Peres
Fotografia: Telmo Domingues

Colaboração:
Biblioteca de Bustos
IPSB - Colégio Frei Gil
Grupo de Amigos de Bustos
Junta de Freguesia de Bustos
Câmara Municipal de Oliveira do Bairro

24 de fevereiro de 2011

Centro Paroquial: acabar é preciso

Com o abandono e degradação do antigo Centro Recreativo e da anexa sala de cinema, Bustos passou a ser a única freguesia do concelho sem uma sala para representações teatrais, concertos, cinema ou outras iniciativas de interesse comunitário.
Vamos todos contribuir para as obras do salão paroquial!

A comunidade cristã agradece.
Os agnósticos e ateus também.
Porque é Bustos que precisa.

23 de fevereiro de 2011

BUSTOS - ESCOLA DO CORGO: Poste de iluminação fora de serviço



Do poste saía a luz amiga para o transeunte circular em segurança.

O acidente fez cortar a energia.

A precaução tem de ser redobrada.

A escuridão engana.

22 de fevereiro de 2011

CENTENÁRIO BANDA ESCOLAR DO TROVISCAL - SÁBADO

Tudo começou na Escola.

O ideário republicano espalhado aos quatro ventos pela Revolução Francesa: Liberdade Igualdade Fraternidade, abria novas fronteiras ao Homem.

Uma questão de pecúnia viria a tornar a Banda do Troviscal do Prof. José de Oliveira em baluarte dos Republicanos.

O «100 anos da Banda Escolar do Troviscal» é o momento certo para Silas Granjo abordar alguns pormenores que rodearam o recíproco interdito entre a Banda e o Pároco do Troviscal. Autor e Livro serão apresentados por Belino Costa.

O concerto da Mini Banda da Escola de Música irá proporcionar uma viagem ao ano 1911.

Um programa imperdível.




A convite do Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro dirigido a toda a população em geral,

Sábado, dia 26 Fevereiro’2011 - no TROVISCAL

vai ocorrer um aliciante programa pela passagem de

“100 anos da Banda Escolar do Troviscal”

16H30 – Local: Museu de Etnomúsica da Bairrada

Inauguração da Exposição:

“IMAGENS COM MÚSICA: 100 ANOS DA BANDA ESCOLAR DO TROVISCAL”


Na Escola de Artes da Bairrada:

17H00 – APRESENTAÇÃO DO LIVRO “TROVISCAL REPUBLICANO: BANDA EXCOMUNGADA, CLERO INTERDITO (1922 – 1939), da autoria de Silas de Oliveira Granjo

Oradores: Belino Costa e o Autor.

18H00 – Concerto da Mini banda DA ESCOLA DE MÚSICA DA UNIÃO FILARMÓNICA DO TROVISCAL

18h45 – SESSÃO DE AUTÓGRAFOS.

50 anos da Biblioteca: mais prémios

No âmbito das comemorações dos 50 anos da Biblioteca Fixa n.º 26 de Bustos o grupo Amigos  de Bustos lançou o concurso literário “Bibliotecas em Viagem…Livros e Leitores…e Locais onde Nascem Histórias”.
Foram 117 os trabalhos escritos, provenientes de alunos das Escolas Básicas  de Bustos e da Quinta Nova, bem como do IPSB, desde o 3º ano de escolaridade até ao 12º, a que acresceram os trabalhos de expressão plástica das crianças dos jardins de infância (público, ABC e Frei Gil/IPSB) e do 1º e 2º ano daquelas Escolas Básicas e do IPSB.
Recebidos, catalogados e classificados os trabalhos, foram atribuídos aos premiados cerca 200 livros, bem como 196 diplomas infantis e 119 para jovens e adultos.
A alegria da pequenada e dos jovens foi a que se viu.
É urgente combater o desinteresse e o abandono escolar.
No sentido de dar continuidade ao projeto de incentivo à leitura, os Amigos de Bustos  pretendem instituir mais prémios escolares. Assim:
- O produto da venda do quadro do pintor bustuense Martins de Oliveira, no montante de 500€, vai ser aplicado na compra de material didático e/ou lúdico, que será distribuído pelos 3 Jardins de Infância (de Bustos, da ABC e Frei Gil/IPSB).
Para o efeito, será contactado o Agrupamento de Escolas  de Oliveira do Bairro, a quem será pedida colaboração e a indicação das respectivas carências.
- Aproveitando vários donativos do próprio grupo, foram instituídos os “Prémios Biblioteca de Bustos 2011”, já anunciados nas comemorações oficiais dos 50 Anos da Biblioteca.
No valor de 150€/cada um, os dois prémios serão entregues aos dois estudantes que forem considerados os melhores utilizadores do Pólo de Leitura de Bustos e destinam-se à aquisição de livros e material escolar dos contemplados.
Os prémios serão atribuídos e entregues no mês de Setembro deste ano, em cerimónia que se espera possa ter lugar no próprio Pólo de Leitura. Neste particular, o grupo agirá em parceria com a Biblioteca Municipal.

Esperam-se e desejam-se outras iniciativas. 
É ponto de honra dos Amigos de Bustos intervir em estreita ligação e interação com a Junta de Freguesia, Associações locais, Câmara Municipal e Agrupamento de Escolas.
Entretanto, o grupo de ação em prol da formação cívica e do desenvolvimento de Bustos está aberto a todos os que queiram integrar as suas fileiras ou, de alguma forma, colaborar.

Bustos precisa de todos!
*
- Tabela extraída da Carta de Educativa de Oliveira do Bairro, Edição da Câmara Municipal /Abril de 2007/pág. 59. A Carta Educativa foi aprovada em Assembleia Municipal de 27/6/2007.
- O NOTICIAS DE BUSTOS PUBLICARÁ A LISTA DOS PREMIADOS. [Perdão: a lista já foi publicada em post do Belino do dia 18. Faltam é umas fotos da miudagem a receber os prémios, momento mágico que marcou e divertiu aqueles jovens].
*
Oscar Santos

20 de fevereiro de 2011

OS HERÓIS DO DIA DA BIBLIOTECA





Foram tantos os sorrisos, tamanhas as alegrias... Pertenceu-lhes a festa e o  lugar de honra. Receberam livros, incentivos e aplausos. Só por eles valeu a festa. São os heróis do Dia da Biblioteca, jovens mãos que irão escrever o nosso futuro.O nosso orgulho.

Foi linda a Festa de todos os aniversários

Bustos renasceu nas comemorações do seu Dia. E renasceu porque soube abrir as portas do futuro por que tanto lutaram os seus antepassados. Porque quis e foi capaz, em dois dias apenas, de evocar de forma brilhante e digna o seu passado.

Tudo começou bem pela manhã do dia 18, com a salva de 21 tiros, o hastear das bandeiras e a romagem ao cemitério, com passagem pelo Largo da Igreja Velha.
Mas o momento mais brilhante do 1º dia de todas as festas estava para vir. Aconteceu com o apontamento etnográfico que as mãos de fada da Clarita Aires traçaram no salão nobre da Sede da Freguesia. 
Dois trajes lembraram-nos os antepassados: o masculino é cópia do existente no Grupo Folclórico da Região do Vouga; o feminino foi recolhido duma fotografia do livro “Árvore Genealógica da Família Costa” (Hilário Costa) e representa uma mulher desconhecida dos meados do século XIX.
Seguiu-se a usual sessão solene. Ficámos a saber pela boca dos Presidentes, da Junta e da Câmara (omnipresente durante os dois dias de comemorações), que, finalmente, Bustos terá no mapa do concelho a dimensão que merece.

A 17ª hora foi da Associação de Beneficência e Cultura de Bustos (ABC), da celebração dos seus 30 anos, do percorrer um espaço cada vez mais amplo e renovado, do descerrar das fotografias de todos os Presidentes da sua Direcção. Foi também a hora da exposição “30 anos da ABC de Bustos” e de um agradável momento musical.

O previsto jantar comemorativo dos 91 anos da Freguesia e dos 30 anos da ABC reuniu no Sobreiro cerca de 230 pessoas, animação fadista e o anunciado leilão do quadro do (João) Martins de Oliveira, “Moinhos de Santo André”. Aqui, falou mais alto a voz solidária da SóBustos. 
Os Amigos de Bustos agradecem, mas mais agradecidas ficarão as crianças dos 3 Jardins de Infância de Bustos quando lhes chegar às mãos o material que os 500€ da licitação do quadro hão-de comprar.

São obras, Senhores, são obras o que se espera de nós.
E palavras também, muitas palavras.

Palavras escritas nos quase 200 livros que o grupo “Amigos de Bustos” distribuiu pelas crianças e jovens das Escolas de Bustos e do IPSB. 

Palavras escritas e projectadas na intervenção do Arsénio Mota, que recordou e retratou como nasceu, cresceu e morreu a celebrada Biblioteca Fixa n.º 26 da Fundação Calouste Gulbenkian. Que lembrou ainda o legado ímpar da Comissão de Melhoramentos de Bustos, nascida em 1960 da “necessidade orgânica de continuar, continuar sempre a crescer”.

Palavras escritas, retratadas e musicadas pelos Alunos do 12º C do IPSB na imaginativa e bem conseguida exposição “À volta das Letras…E com os seus Autores…”.

Palavras que a alma bustuense da Irene Micaelo recuperou, de forma envolvente e intimista, das memórias tão vivas e tão presentes da sua mocidade dos tempos de leitora da Biblioteca Fixa de Bustos no alvor dos anos 60.
Palavras gravadas na alma dos livros e dos diplomas que as premiadas crianças e jovens jamais esquecerão.
ENTÃO, MENINOS!
VAMOS À LIÇÃO!
EM QUANTAS PARTES SE DIVIDE O CORAÇÃO?
*
- Gostaríamos que Bustos estivesse realmente no coração,
e também a Bondade,
e a Sinceridade,
e tudo, e tudo o mais, tudo estivesse realmente no coração.
__
- Verso e citações finais extraídos de "Linhas de Força" /poema do coração, de António Gedeão, 1967.
- Foto dos trajes: Maritza Ribeiro.

19 de fevereiro de 2011

OITAVA DO DIA DE BUSTOS’2011- UMA SURPRESA CULTA. (notas)



Em tempo de céu pichelado com breu das profundezas do Hades das crises, uma frincha deixou cair sobre Bustos sonho, alegria, imaginação, criatividade, organização, voluntariado, reconhecimento, gratidão, exaltação, abnegação estiveram no aniversário do meio século da antiga Biblioteca Fixa (nº 26) da Gulbenkian.

As duas ideias (concurso destinado ao universo das escolas e jardins de infância e campanha dos livros) que a Irene Micaelo Borges apresentou e que soube liderar, foram recompensadas pela larga receptividade.
Foi lindo ver a Sala das Sessões da Assembleia de Freguesia a respirar juventude: Alunos (as), Pais e Professores, representantes de instituições.

O Grupo de Meninas: Irene, Dina, Ditosa, Milita, Prazeres esfalfaram-se por uma causa nobre, a elevação do Homem. Merecem descansar para carregar energia e avançar para outra viagem. As Escolas e Jardins de Infância são os aliados naturais.
Sábado, dia de folga. Mãe doente acamada, netos à espera da avó … horas infindáveis de trabalho cruzam a noite. Ainda há tempo para descobrir os últimos(!?) do Pessoa, David Mourão Ferreira, Sofia, e … "Os alunos merecem". É uma gota mágica que vem do Futuro.

No histórico PiriPiri, transformado em centro de operações do grupo, ouve-se a ..., dizer sem lamento, estive a assinar até à três da manhã. Mas pior está a … que já largou mais de €€€€… o computador nunca mais despachava, "os livros da campanha estão sempre a chegar", a Dr.a Cristina Calvo também trabalhou connosco ... Tudo em nome da carolice.

Presenças que ajudam a fazer história. Trabalharam sem querer louros ou ramos de oliveira … o «eu» foi eliminado do tempo dos verbos e da verba.
Os Presidentes dos executivos aplaudiram as iniciativas.
Presidente da Câmara apoia, mas previne... o apoio tem de ser pesado na balança da equidade.

O bolo de aniversário oferecido pela Esmeraldina teve o especial sabor a carinho que já tinha sido espargido pela sala ao serem homenageados os membros da Comissão de Melhoramentos'1960; os «bibliotecários» - irmãos Abel e Manuel Martins (Serralheiro) e a Profª Zairinha. Uma evocação que não esqueceu o mecenas dos primeiros anos da Biblioteca, Dr. Assis Francisco Rei. (a)
A porta da «caixa mágica dos livros» está aberta.

Entrai.
___
As notas soltas estão longe de ser relatório. Há mais participantes a título pessoal e outros institucionais.
e um obrigado.
sérgio micaelo ferreira
(a) A trintanária aniversariante"ABC" do Palacete tem sido a hospedeira da «caixa mágica dos livros». Honra o B da sua sigla. Também merece aplauso.

BUSTOS EM FESTA


Hoje foi dia de festa. 
Amanhã também.
Com um cartaz destes é bonita a festa, pá!
Canta a primavera, pá!

[lembrando Chico Buarque, em "Tanto Mar"]
__
Cartaz oficial das comemorações dos 91 anos da Freguesia, dos 30 anos da Biblioteca Fixa n.º 26 da Fundação Calouste Gulbenkian e dos 30 anos da ABC (Associação de Beneficência e Cultura de Bustos).
- Edição da Junta de Freguesia de Bustos, com a colaboração da Câmara Municipal.

18 de fevereiro de 2011

DIA DE ANIVERSÁRIOS





"ORGULHA-TE DA TUA TERRA MERECENDO-A"
Comissão de Melhoramentos de 1960

CONCURSO "BIBLIOTECAS EM VIAGEM..." - PREMIADOS

50º ANIVERSÁRIO DA BIBLIOTECA FIXA Nº 26 DA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN, EM BUSTOS

Concurso: Bibliotecas em viagem…livros e leitores…e locais onde nascem histórias…
ESCOLAS E ALUNOS PREMIADOS

JARDINS DE INFÂNCIA
(Prémio colectivo)

Jardim de Infância ABC
Jardim de Infância-Bustos
Jardim de Infância – IPSB


ESCOLA BÁSICA DA QUINTA NOVA
1.º e 2.º anos (prémio colectivo)

3.º ano
Cláudia Sofia Santos Silva, O Sonho de uma criança
Carolina Ferreira Gonçalves, Um livro muito interessante

4.º ano
Vanessa Sequeira de Almeida, A Biblioteca Show
Diogo Edgar Esteves, A Grande Viagem

 
ESCOLA BÁSICA DE BUSTOS

1.º e 2.º anos (prémio colectivo)

3.º ano
Daniela dos Santos Fernandes, O que será uma biblioteca itinerante?
Carolina Martins Ribeiro, O livro mais interessante

4.º ano
Carolina de Oliveira Brites, A biblioteca itinerante
Guilherme da Cruz Ribeiro, O livro mágico

 
IPSB – COLÉGIO FREI GIL

1.º e 2.º anos (prémio colectivo)

3.º ano
Diogo Gala, Na porta, entreaberta, apenas uma palavra - Biblioteca
Adriano Pereira, Biblioteca em Viagem
4.º ano
João Lourenço Capão, Na porta entreaberta...apenas uma palavra - Biblioteca
Flandrea Odette Simões Palabra, Bibliotecas em viagem… livros e leitores…e locais onde nascem histórias…

6.º ano
Ana Rita Areosa, Um grande romance no fundo do mar

8.º ano – turma B
Ângela Ramirez, A minha viagem da sabedoria
Bruno Vieira do Vale, Entrei numa biblioteca…
Ana Miguel Loureiro, Na porta, entreaberta, apenas uma palavra. Entrei…

8.º ano – turma E
Sofia Oliveira, Rumo aos mares do Sul…
Sofia do Rosário, um sonho interrompido
Joana Pedreiras, Biblioteca, a memória da Humanidade

9.º ano – turma D
Sócrates Borras, Fantasias numa Biblioteca

10.º ano – turma A
David Martins, Bibliotecas em viagem…

Muitos parabéns!
“Amigos de Bustos”

MARÉ ALTA - Um poeta Bustuense



Debruço-me sobre matérias passadas, publicadas no Notícias de Bustos e lá me deparo com pequena biografia de um poeta Bustuense: António Pato.
Imediatamente a agitação de meus neurônios me trazem à memória mais algumas lembranças de criança, então com 6 anos de idade. A minha presença na casa de meus avós era constante. Com essa idade eu já ia sozinho até à casa de meus antecedentes maternos. E lá, na casa onde nasceu minha mãe Cândida Correia, algumas coisas me atraiam. A bateria do conjunto em que meu tio padrinho David tocava, que às vezes ficava guardada no pátio em cima de um balcão; Os figos, as nespras e as ameixas amarelas, três de outras tantas frutas do aido dos avós; Os abusados carinhos de uma tia. E o namoro do filho do Dr. Pato e de uma cunhada do Dr. Vicente. A respeito de minha tenra idade, eu fora atraído por uma curiosidade imensa, quanto inocente, a respeito de um namoro um tanto estranho para mim, a considerar toda uma cultura daquele tempo. Dentro do contesto curiosidade devo confessar minha estranha atração por um carro de linhas sem igual do filho de Sr Dr. Pato: Um Citroem Preto (acho que a marca era fabricada somente nesta cor). Ele me parecia mais largo e atarracado que os outros carros que conhecia (e que não passavam de uma dezena). Por essa época, apoderou-se de mim uma grande obsessão: espiar o andamento daquele namoro que fugia bastante das “normas e procedimentos” de namoro conhecidos, em que a junção de corpos entre namorados só ocorria nos bailes e, até nessa circunstância, nem sempre a rapariga consentia com uma aproximação, diria, mais acalorada...
A casa de meus avós ainda se encontra intacta como eu a conheci, na rua 18 de fevereiro. Era no segundo pavimento que ficava a janela de meu observatório. E como era excitante ver aquele colóquio à frente da porta de entrada da casa em frente, do outro lado da rua. Somente agora me dou conta de que aqueles rostos juntinhos era a forma mais sublime de um sussurro d alma, ao pé de ouvido de uma amada, a verter em versos, a fala de um coração...
“Eu passo toda a semana/Com o domingo na mente/Se ao domingo te não vejo/Seis dias fico doente”.



Irmãos Santos Pato: António, José, Manuel (Néu) - foto do arquivo do Eng.º Santos Pato

Estive em Portugal recentemente, achando-me presente no Troviscal, num jantar de comemoração dos 100 anos da proclamação da República. Eventos alusivos à efeméride espalharam-se por todos os cantos do país luso. Na Palhaça, presenciamos a inauguração de um maravilhoso complexo de ensino.
Pensando República, Bustos também teve seus notáveis republicanos, cuja história vem sendo pormenorizadamente resgatada por uns pouco abnegados pesquisadores conterrâneos. E como expoente maior desse marcante acontecimento de 1910 avulta o nome de Jacinto dos Loiros, nome igualmente consagrado na luta pela emancipação da freguesia de Bustos tendo como data comemorativa, o 18 de fevereiro.

Pois foi na antiga moradia de Jacinto do Loiros que eu alimentei minha curiosidade infantil, aguçando minha acuidade espiâ. Foi nessa residência que morou durante muitos anos, Dr. Vicente. Mas... Porque me detenho em tal referência? Preciso declarar a meus conterrâneos que foi com uma imensa tristeza que vi desaparecido aquele imóvel, que deu lugar a uma outra construção. A sua preservação, certamente representaria e distinguiria um rico e importante período da história da freguesia de Bustos. De um lado o majestoso palácio do Sr. Visconde, símbolo máximo de uma monarquia sucumbida. Do outro lado, uma vivenda de linhas personalizadas a registrar para sempre a existência de um guerreiro, que despontou como o grande arauto da república proclamada e da emancipação da nossa terra.

17 de fevereiro de 2011

Ainda a «Biblioteca de Bustos: Danças, Mudanças e Usanças»


“o sonho e a esperança persistem na designação de Pólo de Leitura de Bustos.” (1)


Perante a tentativa de distorcer o que está escrito no postal «Biblioteca de Bustos: Danças, Mudanças e Usanças», de 12.02.2011, oferece dizer:

1) a peça foi escrita em resposta ao arbítrio divulgado pelo Jornal da Bairrada de 10.02.2011, Oiã terá a sua Biblioteca e Bustos com Pólo de Leitura, oficialmente confirmado no portal da Câmara Municipal em LIVROS E LEITURA PARA TODOS aqui

2) na transcrição da parte geradora da cripto polémica: “o orador principal da festa irá apresentar-se rigorosamente paramentado de truão e proferirá o discurso oficial…”. O que se pretende é simples: a inclusão da designação Biblioteca de Bustos no Pólo de Leitura.

3) no texto está “proferirá o discurso oficial”. Consultando o programa da Festa do Dia de Bustos, não consta que a sessão solene, onde são proferidos os discursos oficiais, tenha lugar no dia 19 de Fevereiro.

Talvez seja o momento dos executivos autárquicos rectificarem o que foi acontecido e inscrevam a nova designação: Pólo de Leitura/Biblioteca de Bustos. Será cometer alguma ilegalidade pretender assinalar uma conquista alcançada pela Comissão de Melhoramentos de Bustos'1960 em época adversa ?

####

Em redor das actividades dedicadas ao «Pólo de Leitura»/Biblioteca de Bustos

Merecem vivo aplauso:

1) O grupo de meninas que anda a trabalhar na sombra e no duro. O «"Concurso ... Literário"Bibliotecas em viagem... livros e leitores... e locais onde nascem histórias...» é a semente que foi depositada com carinho no solo da comunidade dos estabelecimentos de ensino e jardins de infância, nas mãos dos professores, alunos, encarregados de educação, … Os frutos serão colhidos lá mais para a frente, pois a s meninas amigas da «Biblioteca»/Pólo de Leitura de Bustos não vão abandonar a sementeira.

2) A campanha “Biblioteca de Bustos: 50 anos – 50 livros”, rapidamente ultrapassou a meia centena de títulos oferecidos. Confirmou-se o dito “Grão a grão … “

3) Os que deram vida e mantiveram a Biblioteca Fixa (nº 26) da Gulbenkian: Comissão de Melhoramentos de Bustos'1960 & Arsénio Mota; Dr. Assis Rei; irmãos Abel e Manuel Martins (Serralheiro), D. Zairinha Silva...

4) Os (as) utentes, a razão da sua existência.

________

E, já agora, um lembrete. A instituição Biblioteca/Pólo de Leitura de Bustos está ao serviço da cultura e só manterá vitalidade se houver utilizadores.

Em tempo:

As considerações do articulista nunca foram, não são, nem serão um ataque à acção cultural da Biblioteca Municipal ou da política cultural da Câmara Municipal. Não ignoro - sou um observador da política cultural do concelho - que após a edificação da Biblioteca Municipal o respirar cultural ficou mais solto e que levou Pólos de Leitura todas as freguesia.

Se, por vezes a crítica é mais assertiva, é-o motivada pela minha perspectiva pessoal de justiça, não no sentido de uma justa verbal por motivos bairristas.

sérgio micaelo ferreira